2 de dez de 2012

Zoo de Pomerode

A minha estrela do zoo de Pomerode
Alguém aqui já deve ter ouvido falar da cidade mais alemã do Brasil em alguma série de reportagem impressa ou na tv, e talvez até venha na cabeça a famosa cidade de Blumenau em Santa Catarina. Mas na verdade que leva o título é a pequena, pacata e a linda cidade chamada Pomerode. E pra quem pretende visitar a cidade mais alemã do país e curte zoológico, não deixe de conhecer o Zoo de Pomerode. Eu não sou muita fã de zoológico no geral, fico com pena dos bichinhos que muitas vezes parecem confinados a pequenas áreas. Mas eu sei, que zoológico sério cumpre sua função sócio ambiental também. E o zoo de Pomerode é um desses, além de ser um dos grandes atrativos da cidade. 

           

O zoo me surpreendeu positivamente com a quantidade de exemplares de animais procedentes de vários lugares do mundo e também limpeza e organização, estamos falando da cidade mais alemã, então convenhamos que o negócio não seria desorganizado, não é? É um ótimo lugar pra ir com seu pequeno e até pra quem não é tão pequeno também. Quem nunca riu daqueles macacos brincando entre si, ou fez cara de medo quando viu uma cobra jibóia gigantesca mesmo enjaulada no vidro?  Fora que não tem seres mais fotogênico que animais e de zoológicos então nem se fala! Eles estão lá, pousando pra você e no seu melhor ângulo. 

                 

Zebras, onças, hipopótamos ... as girafas não podiam deixar de marcar presença também! E pasme, tinha até urso. Confesso que fiquei com dó do animal, pois o clima da cidade não favorece a ao nosso querido "Ted Bear" coberto de banha e pêlo, que não tinha ânimo nem pra levantar.
                           


Mas o "forte" do Zoo de Pomerode, são as aves em geral. O parque abriga desde espécies nativas à espécies exóticas, como o famoso Galah da Austrália. Minha parte preferida do zoo foi o aviário, pois era o único e óbvio lugar menos perigoso que você pode interagir diretamente com os bichinhos. 
Gralha Azul
 
Guará                             
E não acaba por aí, em uma sala refrigerada tem até pinguins!


E para os herptólogos de plantão, todo zoológico que se preze sempre terá um representando a família.

Sim, eu tenho medo mesmo ela estando no vidro. Jibóia albina
anta

Então, vai dar uma passadinha por lá?

O zoo fica na Rua Hermann Weege, 180  Centro.
Aberto diariamente das 8:00 às 18:00

Ingresso:

Adulto - R$ 18,00
Crianças, grupo escolar e melhor idade R$ 9,00

Mais informações só acessar aqui --->  Pomerode Zoo







26 de nov de 2012

Hanauma Bay: Um conceito diferente de praia

Hanauma Bay, Oahu. Já passaram 3 meses que retornei do Havaí e até hoje se me perguntarem o que achei de Hanauma Bay, eu vou gaguejar um pouco, tentar explicar e no final ainda não saberei responder minhas impressões sobre uma das mais famosas praias de Oahu. 

Hanauma Bay é uma baía localizada em uma área de preservação marinha de origem vulcânica. Sua formação geológica já é bastante interessante por si só... Sem dúvida, é um dos lugares mais lindos de Oahu. Um ótimo lugar para pratica de snorkling e com um conceito que faz toda diferença quando pensamos em conservação. Ao chegar e vê a primeira "janelinha" com visão pra praia é pra respirar fundo, abrir o sorriso e dizer "Ufa! Valeu a Pena". 

A praia fica a uns 25 minutos de carro de Waikiki. Para acessá-la é necessário pagar uma taxa de entrada no valor de US$ 7,50. Após o pagamento, há um vídeo de aproximadamente 15 minutos que fala sobre a reserva, a vida marinha local e os cuidados que você deve ter neste lugar. É um vídeo bastante informativo que passa uma rápida mensagem sobre os trabalhos de conservação e conscientização. 

Um ponto que eu achei super válido é a questão informativa do cuidado com a área e a valoração que deram aquele ambiente. No Brasil, não temos praia onde pagamos para entrar por motivos de  conservação. É interessante a forma que eles atribuíram valor a esta área e o quanto as pessoas estão dispostas a pagar para usurfruir deste bem. Talvez seja estas restrições que permite que ainda haja corais e uma intensa vida sub-áquatica, mesmo recebendo milhares de turistas diariamente. Bom, a partir daí, as portas estão liberadas e você tem o resto do dia pra curtir esse mini paraíso. 

Hanauma Bay, vista para baía


A praia fornece estrutura para aluguel de material de mergulho, banheiro, tem uma lanchonete e lojinha.

É um  lugar mais contemplativo, onde o contato com a natureza e observação da fauna estão em primeiro lugar. Eu não deixaria de ir, mas sabe aquela "viu tá visto"? Não é a praia de todos os dias.

Quando nós fomos, todo o processo entre fila para pagar, mais filme, até a chegada da praia durou em torno de 40 minutos. Neste dia chegamos por volta das 10:00 da manhã e a praia já estava repleta de visitantes. O que eu recomendaria sobre Hanauma Bay, é que sem dúvida é uma experiência e um ótimo lugar para ir com a família.  Mas se você está procurando aquela praia mais badalada,  com ondas fortes ou quer apenas pegar um bronze deixe Hanauma Bay por último e vá sem pressa.


E aí  ficou com vontade de conhecer esse pedacinho azul-esmeralda em Oahu? ou vais deixar pra uma próxima vez?


Informações: 

O parque-praia abre das 6:00 da matina às 19:00

Entrada US$ 7,50 + US$ 1,00 (estacionamento)
Não abre às terças-feiras




Mahalo 


10 de out de 2012

Hawaii para contemplar


Eu e meu marido, somos formados em engenharia florestal e biologia, portanto é quase impossível em uma viagem não realizarmos atividades naturais, com o objetivo simples de contemplar a paisagem.

Um dos momentos sem dúvida mais especiais sobre esta viagem ao Havaí, foi aprender um pouco mais sobre a cultura havaiana e sua relação com a natureza. A interação com pessoas locais, possibilitou conhecer um lado da história que não está disponível nos museus ou em rituais forjados para atrair o turista.

Nessa viagem tivemos o prazer de conhecer o Dr. Samuel M. ‘Ohukani‘ōhi‘a Gon III, sim! este é o nome dele. Sam é ecologista e pesquisador da organização The Nature Conservancy. A TNC é uma organização não governamental que desenvolve projetos sérios de conservação e proteção a natureza em diferentes habitats espalhados em todo o mundo.


Sam, é descendente havaiano e ao longos dos anos aprofundou seus estudos sobre a sua cultura, aprendendo cantos (Oli) e danças tradicionais (hula).  Hoje, Sam é responsável por transmitir as orações havaiana e os protocolos culturais sagrados em Oahu, que foi passado pra ele por seu mentor Kumu Lake antes de partir.


Abaixo tem um videozinho de Sam iniciando um cântico em respeito a floresta antes de começarmos nossa caminhada. O vídeo é curto porque não entendi se era pra olhar, concentrar ou cantar junto, hehe. 


video
Sam Ohu Gon III
ʻōhiʻa lehua (Metrosideros polymorpha) planta nativa da do Havaí

Fizemos uma caminhada leve na trilha Halapepenui em Oahu e vimos as cores, as flores e as formas de um ambiente tão bonito. Mas como muitos lugares do mundo, o Havaí também vem sofrendo fortes pressões ambientais principalmente com introduções de espécies invasoras.

E olha só quem são os grandes vilões? Sim, as goiabeiras! Nossas querida espécie desenvolve-se tão bem no Havaí, mas infelizmente acaba ameaçando a flora local, que não consegue competir e nem desenvolver-se onde elas estão. Você já parou pra pensar o por que de muitos lugares, principalmente as ilhas tem um forte controle com a entrada de sementes? É justamente isso, algumas espécies em determinados lugares simplesmente tornam-se pragas, desequilibrando o ambiente natural e as consequências não são somente questões ambientais e sim econômicas.


Goiabeiras, árvores que tornaram-se invasoras e ameaça a flora local.

Os esforços e iniciativas de cuidar deste paraíso tropical que não resume-se apenas a ondas gigantes são muitos e maior ainda, é o amor e respeito dos locais com sua terra. Talvez seja o trabalho deste poucos que estão fazendo a diferença, para que eu e você perceba o que tem de tão mágico neste lugar. 


Mahalo


21 de set de 2012

Honolulu: Porta de entrada para as férias preferida do ano

Honolulu, Oahu. O mês de julho sem dúvida foi o mês mais especial do ano. Foi o mês do meu aniversário, mês que defendi minha dissertação de mestrado (coincidentemente no dia 4 de julho) e o mês que finalmente tirei férias. E a primeira parada que me recebeu com braços abertos e um delicioso coquetel nas mãos foi Honolulu. Parada rápida de apenas 3 dias, ponto de encontro com a sogra que vive na Big Island e parada de descanso após as horas infindáveis do trajeto Curitiba-Hawaii.

Honolulu é a capital do Havaí. E o que esperar da capital de um dos arquipélagos mais desejados turisticamente do mundo? 

Talvez o estereótipo que inicia no filme "Os descendentes", com a imagem do Havaí paradisíaco, com ondas gigantes e onde a vida passa devagar !?

A vida pode passar irritantemente devagar quando você cansado pega um congestionamento no trajeto aeroporto - Honolulu. Que de acordo com o jornal local, o tráfego estava pior que em Los Angeles. 
Agora que já estava avisada que a capital havaiana é uma cidade muito grande, com os mesmo problemas de mobilidade urbana como outra qualquer, resolvi relaxar assim que nos aproximávamos da entrada de Waikiki.


Honolulu é puro agito, calma e sossego ficam longe do dicionário desta área badalada da cidade. 
Waikiki é o bairro mais conhecido de Honolulu, com uma belíssima praia que comprova todo o talento do ser humano ... pois é uma praia totalmente artificial. Acho que é onde ficam concentrados 90% dos turistas que vão a ilha. Falando em turistas, os turistas japoneses são a maioria na ilha, talvez por sua "proximidade" e também pela sua forte relação histórica com as terras havaianas.

            

O Havaí é para todos, e o Waikiki funciona dia e noite, atendendo a todos os tipos de exigências, oferecendo um leque de opções por restaurantes, shoppings, hotéis, áreas de lazer pra quem vai solteiro, acompanhado, com crianças ou sem.


      

Uma coisa que sempre procuro de norte ao sul e neste caso até no Pacífico, são feirinhas. Já falei que AMO e sou louca por este murmurinho e conglomerado de barraquinhas cheia de coisas não tão úteis mas ao mesmo tempo tão essencial pra uma viajante como eu. Fiquei sabendo do International Market Place e assim que localizei fui correndo lá. 
É um lugar interessante! Com coisas locais? Nem tanto, na verdade não é nenhum pouco local. É uma espécie de feira que vende essencialmente pérolas e jóias em  prata e ouro, este último um tanto suspeito, principalmente para leigos como eu.

A feira é dominada por comerciantes chineses. Fiquei impressionada com a arte de negociar deles. 
Uma historinha engraçada, é que em uma das barracas me interessei por um par de brincos que custava a bagatela de US$ 60,00. Quase caí pra trás, estava esperando bem menos. Ao vê que eu não compraria, em menos de 1 minuto, ela baixou o preço pra US$ 40,00 e mesmo assim eu disse que não estava interessada. 
Ela perguntou o quanto eu estava disposta a pagar e falei que no máximo US$ 18,00, haha. Então, ela pergunta de onde eu era e ao responder que era do Brasil, ela afirma que o país estava com uma economia muito forte e em ascensão assim como a China. Ao perceber que a conversa dela não ía colar pra mim, ela desistiu e disse que venderia pelo preço que eu pedi. O mais engraçado foi ela dizer que cobraria a diferença do próximo canadense ou australiano que aparecesse por lá, afinal não poderia ficar no prejuízo, haha. Ufa! ainda bem que não foi o Bruce quem apareceu lá depois.


  

Mas a grande atração da feira, são as pérolas. As pérolas vendidas são cultiváveis a maioria de água doce.  A quantidade e variedade de pérolas vendidas são infinitas assim como a insistência dos vendedores. O preço vai do chão ao teto e a forma de atrair o turista vale tudo: mulher pérola, trombar com você e dizer que ficou feliz em você ter voltado (mesmo sendo sua primeira vez lá), "pesque e pague" de ostra. No  "pesque e pague", são colocadas ostras em um recipiente e ao preço de US$ 14,90 você pesca a ostra e poderá ter a "sorte grande" de encontrar uma pérola dentro. É claro que você não vai ficar com uma pérola minúscula na mão, então eles fazem sua jóia em prata ou ouro na hora!


 

Após um dia descobrindo a região, nada mais divertido que fechar o dia na praia, com mais um coquetel e assistindo a uma apresentação de dança havaiana na rua com todo o seu brilho, cores, encanto e magia. 



   

Sim! Honolulu pode sim ser paradisíaco, com ondas gigantes e um ótimo lugar pra vê a vida passar. Mesmo com todo congestionamento e loucura de uma área urbana, é uma atmosfera diferente do que estamos habituados. E ainda que essa não seja seu tipo de praia, pode ser uma boa porta de entrada pra suas férias tão esperadas no Havaí.


Infos:

Internacional Market Place - Aberto diariamente das 10:00 às 21:00. 2330 Kalakaua Avenue, Honolulu. 

Aquário de Waikiki - 2777, Kalakaua Avenue, Honolulu. 



Aloha